terça-feira, 31 de março de 2015

Mesmo com obras ainda em execução, Expresso DF terá cobrança a partir de 6ª-feira

30/03/2015 - Portal R7 - DF

Às vésperas de completar um ano e ainda com obras em andamento, chega ao fim a operação de testes do Expresso DF. A partir da próxima sexta-feira (3), o valor das passagens dos ônibus que ligam Gama, Santa Maria e Park Way ao Plano Piloto passa a ser de R$ 3. A cobrança, que iria começar em 28 de março, foi adiada devido as reclamações dos usuários sobre o tempo.

A inauguração do Expresso DF contou com a presença da presidente Dilma Rousseff. A obra, que custou R$ 648 milhões, contou com recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e do governo distrital.

O sistema, porém, ainda é alvo de fortes críticas dos passageiros que o utilizam. Atualmente, segundo o Governo do Distrito Federal, cerca de 200 mil pessoas são atendidas pelo Expresso DF. Entre as reclamações dos usuários, estão a estrutura, falta de equipe de apoio e de organização nos terminais.

Uma das principais reclamações dos usuários é a organização dos terminais. Em março, uma confusão entre duas mulheres começou após o empurra-empurra na entrada de um ônibus. Uma das mulheres diz ter sofrido racismo. Não haviam fiscais ou policiais por perto.

Segundo o DFTrans (Transporte Urbano do Distrito Federal), o modelo de embarque do Expresso DF deveria ser semelhante ao usado no metrô, sem filas. Porém, a demanda é grande e o tamanho dos veículos é menor. Nos terminais faltam fiscais e sobram passageiros.

A estudante de gestão em saúde, Anna Carolyne Alencar, defende o projeto, mas lembra que é necessária uma organização melhor.

Eu acredito que o BRT seja sim uma boa ideia. Porém, para que seja um transporte efetivo é necessário que as pessoas tenham educação. Tendo como base a má educação e a falta de respeito de alguns é imprescindível que tenham profissionais contratados pelo DFTrans para organizar.

Ela lembra que a melhora do sistema depende da conversa entre os responsáveis e os usuários.

Não adianta nada um servidor superior dar uma ordem para o fim das filas sendo que ele não vivencia aquilo e não dá voz a população.

Já a assistente administrativa, Eliane Roque, começou a usar o Expresso DF recentemente. Ela contesta sobre a conservação do sistema.

Vejo uma obra que gastou milhões sem ter cumprido com a ideia pelo qual foi construída. Temos estações que ainda não foram terminadas. Algumas têm vidro quebrado, o que mostra que não tem pessoas ali cuidando da conservação.

O funcionário público, Anderson Sá, morador do Residencial Santa Dumont, na saída de Santa Maria, reclama sobre o tempo gasto dentro dos terminais para a integração na volta para casa.

Se na volta você chegar ao terminal logo após a saída da linha, tem que esperar meia hora até o próximo. Se o sistema promete agilidade, essa demora acaba com isso. O deslocamento entre a satélite e o Plano Piloto até que é ágil, mas para chegar em casa se perde um tempo grande.

Para quem mora no residencial, outro grande problema é a parada de ônibus na BR-040. Desde que a obra começou, o abrigo dos passageiros foi retirado.

Retiraram o abrigo de passageiros da parada no sentido Plano Piloto e nunca instalaram um novo. As pessoas enfrentam sol, chuva e não tem como se proteger. Além disso, também não existe iluminação pública, aumentando os riscos de assaltos.

Sobre o problema, o DFTrans informou que o consórcio que atende a BR-040 seria o responsável pela estrutura da parada de ônibus. Por meio de sua assessoria, a empresa Via BR-040, no entanto, disse que o trecho onde a parada estava instalada não é de sua responsabilidade.

O sistema

O Expresso DF é composto por linhas expressas e paradoras que ligam as cidades à Rodoviária do Plano Piloto, no centro de Brasília. Os ônibus circulam por meio de corredores exclusivos até o início da Asa Sul, quando ocupam a via normal.

No momento, seis estações do BRT estão funcionando: Gama, Santa Maria, Park Way, Caub, Balão do Periquito e Santos Dumont. Enquanto as linhas paradoras atendem todas as estações, além das paradas de ônibus convencionais do Eixão Sul, os expressos param apenas nos terminais de integração.

Em breve, as linhas Paradoras terão os percursos estendidos. Elas vão sair da Rodoviária do Gama, no Setor Central, e do Terminal da Quadra 401, em Santa Maria. Para o pagamento das passagens, os passageiros deverão utilizar os cartões de bilhetagem automática, entre os possíveis, vale-transporte, bilhete-único, estudantil e especial.

Quem usa os ônibus de integração como circular deverá pagar R$ 3 pelo percurso. O DFTrans também informou os passageiros que querem apenas circular nas cidades, deverão utilizar as linhas já existentes, com o valor de R$ 1,50.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade, a expansão do Expresso DF será em breve. A linha norte, com ligação para Sobradinho e Planaltina, está com projeto avançado e a licitação da obra é esperada para esse ano. O início da obra está previsto para o início de 2016.

Nenhum comentário: