domingo, 7 de setembro de 2014

Integração no transporte público tem média de 1,2 milhão acessos ao mês

06/09/2014 - Agência Brasília

Quem utiliza o transporte público do DF e precisa pegar mais de um ônibus para se deslocar, ou agilizar a viagem, pode usar a integração por meio dos bilhetes eletrônicos. A integração funciona entre os ônibus da nova frota e também com o metrô, e o passageiro paga apenas o valor da tarifa máxima: R$ 3. O passageiro pode embarcar em até três ônibus, ou no metrô em um prazo máximo de duas horas.

Para que a integração ocorra com sucesso, o passageiro deve seguir a seguinte regra: ao trocar de ônibus, o veículo deve fazer o mesmo sentido da primeira viagem, e o coletivo do primeiro embarque não deve ter como ponto final o mesmo do segundo embarque, o que não justificaria a troca de coletivo.

De janeiro até agosto, o serviço foi acessado em média cerca de 1,2 milhão de vezes ao mês por meio dos cartões eletrônicos. Segundo o DFTrans, o sistema identifica o embarque em uma linha integrada e desconta nos créditos apenas a diferença das passagens, quando houver.

Se um passageiro, por exemplo, embarcou em uma linha integrada de Ceilândia e pagou R$ 2 e, logo em seguida, embarca no metrô rumo ao Plano Piloto, cuja passagem custa R$ 3, será descontado de seu cartão apenas mais R$ 1, totalizando os R$ 3, que é o atual valor das linhas que ligam Ceilândia ao Plano.

BILHETE ÚNICO - O usuário pode adquirir o Bilhete Único (sem cadastro de CPF) em todos os postos do SBA ou postos do BRB Conveniência. Já o Cartão Cidadão (com cadastro de CPF) pode ser adquirido nos postos do SBA do Gama, Taguatinga, Sobradinho, Conic e Galeria dos Estados. Ambos os cartões podem ser reabastecidos. O valor da carga inicial é R$ 10, convertidos em créditos.

Fonte: Agência Brasília

Nenhum comentário: