sexta-feira, 25 de outubro de 2013

"Goiás está fazendo sua parte para viabilizar BRT do Entorno"

25/10/2013 - Secretaria Estadual das Cidades

O servidor público federal Marcell Alexandre de Oliveira Costa, da Secretaria de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, avalia como "muito positivo" o desempenho do governo de Goiás no sentido de subsidiar o Palácio do Planalto com informações relativas ao anteprojeto do BRT que ligaria a regional administrativa de Santa Maria, no Distrito Federal, ao município goiano de Luziânia, passando por Novo Gama, Cidade Ocidental e Valparaíso.

Marcell recebeu na última terça-feira, em Brasília, o secretário de Estado das Cidades, João Balestra. Balestra levou dados adicionais do anteprojeto - mais especificamente a descrição detalhada do orçamento proposto para obra. Na opinião do servidor, a celeridade do governo de Goiás em prestar contas e responder aos questionamentos do Ministério das Cidades deve ser decisivo na postulação do BRT, que é um dos candidatos a participar do PAC da Mobilidade (cujos investimento previsto é da ordem de R$ 50 bilhões).

"Toda documentação que pedi está sendo entregue. A situação está caminhando bem. Me parece que o governo de Goiás está fazendo o seu dever de casa e avançando na parte técnica", afirmou Marcell. "Estamos na fase de detalhar tudo, porque na hora de fazer a seleção dos projetos, a ministra Miriam [Miriam Belchior, Planejamento] vai querer esmiuçar essas propostas todas ao extremo. Quem se organizar melhor vai sair na frente".

Balestra informou ao assessor do Ministério das Cidades que estão avançadas as diligências com o Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit), órgão responsável por administrar a BR-040 (por onde passaria o BRT) e com o Ibama (para liberação das licenças ambientais). No caso do Ibama, o próprio secretário esteve no Instituto e pediu ao presidente que outorgasse à Secretaria de Meio Ambiente de Goiás (Semarh) a análise do impacto ambiental da obra. Ele explicou que o governo do Estado tem condições de cumprir esse expediente com maior rapidez que o governo federal e teve o pleito atendido.

A seleção dos projetos do PAC Mobilidade pode acontecer a qualquer momento. Depende de uma decisão pessoal da presidente Dilma Rousseff, que haverá de levar também aspectos políticos em consideração antes de analisar os eleitos para participar do pacote. Para São Paulo, por exemplo, Dilma já anunciou R$ 8 bilhões em investimentos. Ela esteve também em Minas Gerais. O BRT Luziânia-Santa Maria tem boas chances de se viabilizar porque seria a extensão de uma outra obra já em andamento: o Expresso DF (financiado pela União), que até a Copa do Mundo vai ligar o Plano Piloto a Santa Maria. O governo federal também cadastrou outros dois candidatos: o VLT de Goiânia e o BRT Águas Lindas-Ceilândia.

João Balestra afirma que seria injusto com os trabalhadores do Entorno do Distrito Federal, onde vivem aproximadamente 700 mil pessoas, construir um modal moderno como o BRT até Santa Maria e deixar a população goiana desassistida. Caso a obra seja aprovada, ela vai atender a uma demanda de 147.700 usuários - segundo estudos do governo de Goiás.

Fonte: Secretaria Estadual das Cidades

Nenhum comentário: