sexta-feira, 13 de maio de 2011

Polícia deflagra Operação para fiscalizar irregularidades em coletivos

13/05/2011 - Correio Braziliense, Mara Puljiz

A Polícia Civil do Distrito Federal, por intermédio da Divisão Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap), deflagrou, nesta sexta-feira (13/5), a Operação Drakkar II. A ação cumpriu 200 mandados de busca e apreensão nas garagens das empresas que operam o transporte coletivo do DF. O objetivo era fiscalizar documentos e os ônibus.

Durante a ação, os policiais apreenderam 168 coletivos com irregularidades e vistoriou 25 garagens. Os ônibus não poderão circular até que haja uma autorização do Transporte Urbano (DFTrans) ou da Justiça. Além disso, os validadores de todos os ônibus também foram retirados.

De acordo com a Divisão de Comunicação (Divicom) da Polícia Civil, a supeita era de que pelo menos cerca de 200 ônibus piratas estavam sendo inseridos nos sistema pelos próprios empresários e à revelia do estado. A primeira ação deste tipo aconteceu em 2007 como resultado da investigação relativa à dispensa ilegal de licitação no transporte coletivo e no sistema de bilhetagem automática do DF, nas quais foram indiciados, o ex-governador José Roberto Arruda, o ex-secretário de Transporte Alberto Fraga e os empresários Wagner Canhedo, Victor Foresti e Eduardo Queiroz.

A polícia verificou um prejuízo de R$ 14 milhões aos cofres públicos desde 2008. De acordo com a Decap, o valor arrecado pela empresa Fácil não era repassado para o DFTrans, que tinha direito a 3,84%.

Participaram da operação, que começou nesta manhã, 25 delegados, 280 policiais civis, 25 agentes e escrivães.

 (Breno Fortes/CB/D.A. Press)

Nenhum comentário: