terça-feira, 8 de junho de 2010

Governo destina mais R$ 20 milhões para Passe Livre

DF TV 08/06/2010


Dinheiro será remanejado de obras de menor prioridade e de emendas para eventos. Texto com novas regras para o benefício já está na Câmara Legislativa e restringe gratuidade.

O governo mandou para a Câmara nesta terça-feira, dia 08, o novo projeto do Passe Livre e autorização para repasse extra de mais R$ 20 milhões para que os postos voltem a carregar os cartões. A recarga foi suspensa novamente e agora a reclamação não é apenas sobre cartões sem crédito, mas também que não funcionam. Muitos estudantes foram barrados na roleta dos ônibus. “Tive que tirar do bolso para pagar a passagem”, contou uma estudante. De acordo com a assessoria da Fácil, a fiscalização dos cartões agora é pra valer - mais de três meses depois de implantado o Passe Livre. Aluno que tentar usar o cartão acima do limite de quatro vezes por dia ou em linhas não cadastradas, não vai conseguir. Se o caso for de estudante que tem o benefício duplicado, um do metrô e outro de ônibus, o cartão será bloqueado. O novo projeto do Passe Livre deve chegar a Câmara Legislativa ainda hoje. Apesar de o líder do governo ter afirmado que o benefício poderia ser mantido para todos os estudantes, deve haver mesmo a restrição para quem estuda em escola particular. Assim, alunos de escolas públicas não pagam nada, nem os de escolas particulares que têm renda familiar de até quatro salários mínimos. Com renda acima disso, o estudante paga um terço da passagem. O GDF estima que com a restrição os gastos ficariam entre R$ 12 e 14 milhões por mês. O texto deve abrir uma brecha: no futuro, se houver recurso disponível, alunos com renda de até seis salários mínimos também podem receber o Passe Livre. Junto com o texto das mudanças no Passe Livre, o governo vai enviar à Câmara um projeto de crédito extra para a Fácil. O novo repasse deve ficar em torno de R$ 20 milhões, dinheiro que seria remanejado de obras de menor prioridade e de emendas parlamentares para eventos. Só depois que a Câmara aprovar o crédito extra e for publicado no Diário Oficial é que o dinheiro será repassado à Fácil. Rita Yoshimine / André Lima / Juares Dornelles 

Nenhum comentário: